06 abr

michael

 

Estudar notas fantasmas, as chamadas ghost notes, é fundamental para os bateristas conseguirem arranjos rítmicos diferenciados. Para quem não sabe, elas são notas tocadas com pouca força, pianíssimo, e são feitas principalmente na caixa, apesar de poderem ser feitas em outras peças também.

 

Mas como executá-las com qualidade?  O primeiro passo é entender que elas funcionam com um movimento curto do pulso. Para tocar a técnica corretamente a baqueta tem que estar no máximo 5 centímetros da pele. É importante sempre utilizar o metrônomo e praticar com o andamento mais confortável possível.

 

É fundamental que você se concentre nas articulações das notas e nas dinâmicas. Para soar bonito, o chimbal pode ser acentuado nos tempos, tocando na sua borda com a lateral da baqueta e em cima com a ponta. Já as notas fortes funcionam também podendo ser tocadas com uma combinação de aro e pele, o rimshot

 

Confira abaixo neste vídeo nosso baterista Diego Sanches aplicando as notas fantasmas!

 

F.Gênia