16 fev

A Michael lançou uma nova linha de Ukuleles, um instrumento de cordas originalmente do Havaí, que hoje é utilizado em diversos estilos musicais e em todas as partes do mundo. São modelos Soprano (MK21 ZB, ZBE e MH), Concert (MK23 MH e ZBE) e Tenor (MK27 ZB). Para comemorar estes lançamentos, nossa Artista Michael, Débora Ildêncio, fez um vídeo mostrando algumas das principais batidas utilizadas no Ukulele. Confira!

 

02 fev

cordasdeaconylon

 

Olá, pessoal. Esta é uma das principais perguntas que recebemos nas redes sociais e no site da Michael! “Posso colocar cordas de aço no meu violão nylon?”. Neste vídeo, nossa Artista Michael, Débora Ildêncio, desvenda o mistério desta dúvida que ainda permeia na cabeça de muito músico! Confira:

 

26 jan

reggaeton

 

O reggaeton é um estilo musical que tem origem na música latina e caribenha. Seu som é uma mistura do reggae em espanhol do Panamá, influenciado pelo hip hop, pela salsa e pela música eletrônica.

 

Neste vídeo, nossa Artista Michael, Débora Ildêncio, irá mostrar com o violão elétrico Michael Electra V919DTC SS como aplicar o ritmo de maneira correta. Ela mostra a importância de ficar atento no abafamento das cordas, tanto com a mão direita quanto com a mão esquerda! Confira!

 

05 jan

Vamos começar 2018 falando como a música pode trazer benefícios a você! Segundo um número cada vez maior de estudos acadêmicos em todo o mundo, aprender um instrumento como piano, violão ou flauta pode ser muito mais benéfico para o seu desempenho mental do que a parafernália tecnológica que supostamente melhora funções cognitivas como memória e concentração.

EXPOMUSIC 2016 77

“A música faz algo provavelmente único: estimula o cérebro de um modo poderoso a partir da nossa conexão emocional com ela”, afirma a neuropsicóloga Catherine Loveday, da Universidade de Westminster, ao site do jornal “The Guardian”.

Tocar um instrumento é uma experiência complexa, que exige que o seu cérebro integre informações de diversos sentidos, como visão, audição e toque. Isso sem falar na sofisticada coordenação motora necessária para fazer um solo de guitarra ou criar ritmos com as baquetas de uma bateria, por exemplo.

A prática da música tem uma influência tão poderosa sobre as pessoas que pode até alterar sua anatomia. Pesquisadores alemães descobriram que o corpo caloso — estrutura nervosa que conecta os hemisférios direito e esquerdo do cérebro — é significativamente maior nos músicos do que nos não-músicos.

Outro estudo, publicado na prestigiada revista Nature, mostrou que pessoas que tocavam instrumentos com teclado, como o piano, tinham um desenvolvimento acima da média de regiões cerebrais responsáveis por audição, visão e raciocínio espacial. O treinamento musical também tem uma relação direta com a memória verbal e até habilidades linguísticas, apontam estudiosos chineses.

Assim como o aprendizado de idiomas, a prática da música tem resultados mais profundos quanto mais cedo for iniciada. A regularidade e a intensidade das sessões de estudo também são diretamente proporcionais aos benefícios.

EXPOMUSIC 2 e 3 DIA 0045

No entanto, há evidências científicas de que mesmo períodos curtos de prática musical na infância podem ter efeitos vitalícios sobre um indivíduo, como o aumento da capacidade de diferenciar sons e até o adiamento da perda da audição na velhice.

Ao contrário de aplicativos e outras ferramentas comerciais feitas para estimular as atividades mentais e aumentar a produtividade, o treinamento musical tem uma influência mais profunda sobre o intelecto. “A música atinge partes do cérebro que nenhuma outra coisa atinge”, diz Loveday ao Guardian.

A perspectiva de aprender a tocar um instrumento parece distante ou improvável para você? Há um alento: até escutar música traz benefícios incríveis para o seu desempenho.

De acordo com cientistas da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, pôr os fones e curtir os seus artistas favoritos no trabalho impulsiona o rendimento em diversas tarefas — desde que elas não exijam raciocínio verbal e se organizem em padrões repetitivos.

Fonte: http://exame.abril.com.br/

22 dez

Olá, pessoal! Desejamos um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de grandes realizações! Obrigado por falarem a língua da música com a Michael em mais ano! Felicidades e boas festas!

natal

15 dez

Olá, pessoal.

 

Na postagem de hoje, o guitarrista Bruno Leles, dá dicas básicas para aprender a improvisar usando a Escala Pentatônica. O músico virtuoso foi convidado pela Michael para fazer esta supervideoaula no centro de distribuição da marca! Confira!

 

24 nov

Adriano  - Live

Olá, pessoal. Nesta terça-feira(24/11), às 14h, Adriano Campagnani, Artista Michael, irá participar de uma live no Facebook da Michael para falar de contrabaixo na música mineira. Além de falar das influências, processos de criação, técnica e aplicação musical, o Artista irá tocar faixas do seu novo disco: Instrumental da Esquinas, que teve contribuição de grandes músicos como, André Campagnani, Claudio Faria,  Augusto Rennó, Amauri Angelo e Léo Pires, além dos magistrais Flavio Venturini, Lo Borges, Toninho Horta, Wilson Sideral e Serginho Carvalho. Não perca!

 

 

03 nov

Neste vídeo abaixo, Vitor Vieira, Artista Michael, mostra a maneira correta de realizar o baqueteamento na bateria. Ele passa exercícios básicos e dá dicas importantes para o baterista executar a técnica corretamente. Confira!

 

18 out

michael1
 

A Michael  participou em outubro da Expomusic 2017, maior feira de instrumentos musicais da América Latina!  A feira foi realizada entre os dias 04 e 08/10, no Anhembi, em São Paulo, espaço consagrado por realizar grandes shows nacionais e internacionais.

 

Para a marca foi uma grande oportunidade de realizar negócios, apresentar os lançamentos, rever os lojistas e estar em contato com os músicos.

 

A empresa preparou um stand bem bonito, com uma estrutura moderna, que valorizou bastante a interação. Os visitantes puderam ver de perto a versátil linha de instrumentos, que esteve toda setorizada, pronta para ser testada durante a feira.

 

Um dos destaques da marca foi o Palco Michael, local da apresentação dos Artistas. Os visitantes puderam assistir apresentações musicais variadas e ver de perto os instrumentos da marca em ação. Adriano Campagnani, Alex Curi, André Neiva, Cláudio Infante, Débora Ildêncio, Diego Sanches, Dino Rangel, Flávio Emanuel, Inácio Cavallieri, Luana Camarah, Luiz Cunha, Marcelo Costa, Kevin Emmanuel, Ricardo Cordeiro e Vitor Vieira mostraram grande desenvoltura e musicalidade, sendo bastante elogiados. Os estreantes do Palco Michael, Eros Biondini, Fabinho Gonçalves, Eugênio Lima, Wilson Lopes, Polly Angel e Tony Allysson também foram ovacionados!

 

Vale ressaltar também a réplica gigante de uma guitarra de metal, criada especialmente para o stand da Michael, que chamou a atenção do público! Feita pelo artista Rodrigo Gallo, o instrumento criado com materiais reciclados possuía 3 metros de altura e tinha quase 90kg.

 

 

michael2

22 set

O desenho da escala pentatônica funciona como desenho de acordes. Por exemplo, você não sabe fazer dois tipos de Sol Maior? Um acorde com pestana na terceira casa e o outro acorde na segunda casa?

 

Fazendo uma analogia fácil, seriam dois desenhos para representar a mesma coisa. A grosso modo a escala pentatônica funciona também como um desenho, porém, ele se mantém o mesmo, só varia a posição do braço no violão pela referência da nota tônica que você escolher.

 

 Nesta dica de hoje, a escala pentatônica que iremos ensinar tem duas notas por corda e vamos chamar parte do desenho de pequeno (Duas notas a um tom de distância) e outra de grande (Duas notas a um tom e ½ de distância), somando eles a partir de uma nota principal, no caso a Dó,  temos a escala pentatônica em Dó. Observe o desenho

desenhopentatonica
Vamos subdividi-lo para ficar fácil de entender:

Desenho pequeno: Duas notas a um tom de distância

Desenho grande:  Duas notas a um tom e ½ de distância

desenho
Identificando a tônica: A nota verde do desenho inteiro é a principal e é a partir dela que eu defino o tom. Como escolhemos a escala pentatônica em C, a terceira nota na quinta corda é a referência. Caso queira mudar para outro tom, basta deslizar o braço identificar a nota principal e repetir o mesmo desenho.

pentatonicado
Vamos praticar? Para facilitar o exercício, lembre-se cada dedo deve tomar contar de cada traste.

desenhomao
Assim, só utilizaremos o indicador, o segundo dedo e o mindinho.

dedocadacasa
Vamos passar por toda as notas indicadas, do mais grave para o mais agudo e depois voltar. Seguindo a sequência: Pequeno/Pequeno/Grande/Grande/Pequeno/Pequeno/ domaisgravepromaisagudo

Para completar o exercício, recomece do mais grave para o mais agudo terminando na nota tônica.

finalizar
 

Então é isso, vá identificando as tônicas e fazendo este exercício. Só lembre de respeitar os intervalos das casas na hora de fazer o desenho em todo o braço.

 

 

 

 

F.Gênia