11 ago

Você tem dúvidas de como afinar o violão? Então não se preocupe, viemos trazer algumas dicas super úteis para você. Neste post, iremos explicar a afinação tradicional do violão, mas vale lembrar que existem outros tipos de afinação.

Sempre vamos contar as cordas de baixo para cima. A primeira corda é a corda mais fina, chamada de Mi (mizinha); a segunda é a Si; a terceira Sol; a quarta ; a quinta e a sexta também é Mi, só que é a corda mais grave (também conhecida como Mizona).

Depois de aprender o nome das notas, é hora de aprender as cifras de cada nota: Mi = E / Si = B / Sol = G / Ré = D / Lá = A.

Na hora de afinar o seu violão, você vai ligar o seu afinador caso seja um violão elétrico, e no caso de um violão acústico, você pode utilizar um aplicativo. É muito importante que você olhe qual é a letra que está aparecendo no afinador, então é essencial conhecer a ordem da escala (Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá e Si).

Por exemplo, se estiver aparecendo a letra D (que é referente a nota Ré), e o ponteiro do afinador estiver abaixo/antes do meio, quer dizer que a corda está mais grave do que ela deveria estar. Então nesse caso, você deve apertar a corda até que o ponteiro do afinador fique centralizado. Se a corda estiver acima/depois do meio, quer dizer que a corda está mais aguda do que deveria. Então nesse caso, você deve afrouxar a corda, lembrando de que o ponteiro do afinador deve ficar centralizado.

Então essa analogia de ver qual é a letra que está aparecendo e a ordem na escala é muito importante, para que você saiba o que deve fazer. Você pode trabalhar também para a sua percepção com a afinação de ouvido, ideal para músicos mais experientes.

Quer conferir esse conteúdo em vídeo? Então clique na imagem abaixo e você será direcionado ao nosso canal do Youtube!

04 ago

Os violões acústicos da Série Professor são construídos com madeiras-nobres e são ideais para quem procura excelência, conforto e definição! 😍 Todos os modelos da série possuem Tensor-Dual Action e ainda o sistema exclusivo Double Hole, que permite a dupla amarração da corda, que valoriza ainda mais a sonoridade do instrumento.

O VM90E é o grande destaque da série! Construído em parceria com um grande professor de violão, sr. Eugênio Lima, conta com tampo sólido em Spruce, laterais e fundos em Walnut e escala em Ébano, madeiras que permitem que seus acordes ressoem sempre com intensidade e projeção. Seu nut e rastilho são em osso, oferecendo maior dinâmica e durabilidade. Com um visual que encanta aos músicos mais exigentes, possui filetes de madeira em volta do corpo e tarraxas douradas com borboletas em Ébano.

O VM87E é construído com tampo sólido em Spruce e ainda laterais e fundo em Mahogany, madeiras que oferecem graves encorpados! Possui dois tipos de acabamento: natural fosco e o natural brilhante. Conta ainda com excelentes componentes em sua construção, tarraxas douradas com borboletas pretas e o filete em ABS em volta do corpo que valoriza o visual.

São dois modelos excelentes! De qual você gostou mais?

28 jul

As guitarras Michael GM237N e GM227N são muito versáteis e possuem um visual arrebatador, que valoriza ainda mais o instrumento! 🎸 O corpo em madeira sólida permite ótimo sustain e projeção sonora e os trastes extra-jumbos trazem mais firmeza e agilidade na execução das técnicas. Mas qual a diferença entre elas?

Construída com matérias-primas selecionadas, a GM237N é uma guitarra ideal para o guitarrista que deseja fazer solos mais intensos! Possui 2 captadores Single Coil, que produzem uma sonoridade sem distorções ou perdas e ainda 1 Humbucker, que traz uma sonoridade mais forte, gerando mais peso e intensidade para os seus solos.

Já a GM227N é ideal pra quem gosta do modelo ST tradicional, com 3 captadores Single Coil que produzem um sinal limpo, potencializando assim a versatilidade em qualquer estilo musical!

Ambos os modelos contam com o sistema exclusivo da Michael, o MX-7, que permite combinar os captadores do braço, do meio e da ponte, criando timbres que normalmente não são possíveis num circuito tradicional.

Conta pra gente: qual modelo é o seu favorito?

21 jul

Os ukuleles viraram sucesso, mas você sabia que eles existem em diferentes tamanhos? 😃 Na Michael, fabricamos os modelos de 21 polegadas (Soprano), de 23 polegadas (Concert) e de 27 polegadas (Tenor).

Em geral, as características são praticamente as mesmas. Construídos com matérias-primas selecionadas que permitem equilíbrio, projeção sonora e versatilidade, valorizam ainda mais a sonoridade do instrumento.
As versões em Mahogany, madeira nobre, permitem um timbre intenso que encanta os músicos que curtem os mais variados estilos musicais. Já as versões em Zebra-Wood, trazem bastante personalidade ao instrumento, proporcionando excelente projeção e brilho aos agudos.


Além das versões acústicas, também temos as versões elétricas, com afinador cromático e equalizador de 3 bandas, que permite o ajuste dos graves, médios, agudos e volume!

Não tem como não se apaixonar, não é mesmo?

14 jul

As baterias eletrônicas da Michael são versáteis e dinâmicas! Possuem ritmos brasileiros e sons que se assemelham muito ao de uma bateria acústica. 🥁 Mas você sabe qual a diferença entre os dois modelos?

A DDM-120 é ideal para os bateristas que não abrem mão de técnica e precisão! Suas peles em mesh-head oferecem uma pegada mais realística ao instrumento. As estantes de pratos são girafas, que possibilitam uma regulagem mais acurada do ângulo e da altura, oferecendo melhor ergonomia da hora de tocar. Sua caixa trial-zone, tons trial-zone e os pratos dual-zone permitem maior dinâmica, trazendo mais versatilidade na hora de tocar. Possui ainda, 20 presets de fábrica e 20 presets de usuário, para que o músico possa personalizar suas configurações de acordo com a sua sonoridade. Além disso, as funções do módulo são de fácil acesso, permitindo um ajuste rápido e preciso do instrumento.

Já a DDM-100, possui ótima tocabilidade e está pronta para garantir horas de musicalidade aos bateristas mais versáteis! Possui caixa dual-zone, tons single-zone e pratos single-zone. Ainda conta com 50 presets de fábrica e 20 presets editáveis, para o músico deixá-la com a cara do seu som! É um instrumento que permite diversas possibilidades sonoras!

Assim fica até difícil escolher, não é mesmo?

07 jul

Hoje vamos esclarecer uma pergunta muito comum que nos fazem: qual a diferença entre o VM925 e o VM921? 🤔 Em questão de matérias-primas, os dois violões são bem parecidos. Ambos possuem tampo em Spruce, laterais e fundo em Mahogany, madeiras que garantem equilíbrio, projeção sonora e timbre definido. Além disso, possuem tensor Dual-Action e captação Piezo. Os dois modelos possuem versões com e sem cutaway.

A maior diferença entre os modelos está nos detalhes de acabamento. O VM925 possui marcação em “paralelogramos” madrepérola, escudo Flower e oferece filete múltiplo no headstock.

Já o VM921 tem marcação de escala do tipo “dot”, escudo tipo Gota e filete simples no headstock. Os dois modelos são uma excelente pedida, então vai de acordo com o seu gosto.

Conta pra gente, qual você prefere?

30 jun

Quer aprender técnicas e ritmos brasileiros para ter mais versatilidade no violão?

A Michael Instrumentos organizou 3 super aulas, ministradas pela multi-instrumentista, cantora e escritora Débora Ildêncio, onde foram abordados vários temas sobre o universo do violão.

Quer conferir? Basta clicar nas imagens abaixo!

Aula 01: Desenvolvimento da mão direita e esquerda

Aula 02: como deixar sua levada mais swingada

Aula 03: utilização das palhetas no ritmo e levadas híbridas

Aperte o play e bons estudos!

23 jun

Finalizando a nossa série de “dicas para cantar enquanto toca”, em parceria com a Spotlight Escola de Músicos (@spotlightescola), na dica de hoje a professora de técnica vocal, Raffa Pereira (@raffaapereira) ensina como escolher o tom da música.

Cada pessoa tem uma voz diferente, e escolher o tom da música não é fácil. Às vezes gostamos de cantar as músicas no mesmo tom que o cantor da versão original, mas pode ser que essa técnica não funcione para a nossa voz, pois há casos em que o cantor tem a voz mais grossa ou mais aguda que a nossa.

Precisamos encontrar algo que combine com a nossa voz, sem machucá-la e que ainda deixe a música bonita. Demais, não é? Então aumente o volume, aperte o play e confira! 😃🎵

16 jun

Você é instrumentista e quer aprender a cantar? Na dica de hoje, da série “dicas para cantar enquanto toca”, a professora de técnica vocal, Raffa Pereira (@raffaapereira), da Spotlight Escola de Músicos (@spotlightescola), parceira da Michael, ensina alguns exercícios para aquecer a voz utilizando o violão.

Sabemos que o aquecimento vocal é extremamente importante para manter a saúde da nossa voz e também para prepará-la para cantar. Através dele, fortalecemos a nossa voz além de conhecer mais os nossos limites e a nossa capacidade vocal.

Quer conferir os exercícios? Então aperte o play e vem com a gente!

09 jun

Dando sequência à série de “dicas para cantar enquanto toca”, em parceria com a Spotlight Escola de Musicos (@spotlightescola), a professora de técnica vocal Raffa Pereira (@raffaapereira) irá abordar sobre como aprender interpretar canções, sem copiar os artistas.

Às vezes é até legal se inspirar nos cantores e assim aprender algumas técnicas com a voz, mas temos que ter o cuidado para essa interpretação não ficar muito “caricata”. Para isso não acontecer, a Raffa explica em vídeo como pensar nas melodias sem deixar igual à versão original.

Então, bora dar play? Basta clicar na imagem abaixo! 🙂

F.Gênia