13 abr

Neste vídeo, Débora Ildêncio, mostra na prática, como perceber e encontrar o tom mais adequado para você cantar. Confira!

02 mar

violaomichael

 

Já falamos que a unha é a palheta natural do violão. Hoje, vamos abordar as diferentes formas de dedilhado ou arpejo no violão!

 

Na música popular, a maioria deles são feitos em compassos simples de dois, três ou quatro tempos. Neles, os baixos se alternam, sendo divididos em dois grupos de dois em cada compasso.

 

Para dedilhar é importante prestar atenção na postura. A sua palma da mão deve ficar paralela as cordas. Muito cuidado para não jogar o pulso para “fora”, causando dor na articulação. É fundamental também manter os dedos próximos às cordas para garantir agilidade em dedilhados mais rápidos.

 

Vale ressaltar que dedilhar próximo à boca do instrumento é diferente de arpejar próximo ao cavalete. No último caso, a palma da mão sobre este componente, por trás do rastilho, facilita na hora de abafar os bordões, criando uma textura sonora peculiar que surge da mistura da linha rítmica e melódica.

 

No geral, os dedilhados podem ser feitos de duas maneiras:

 

Com dois dedos
O polegar nos bordões da 6ª, 5ª e 4ª cordas, de cima para baixo. O indicador e o médio tocam a melodia nas primas, 3ª, 2ª e 1ª cordas, no geral de baixo para cima.

 

Com três dedos
O polegar ou o dedo anular toca os bordões. O indicador toca a 3ª corda, o médio a 2ª e o anular a 1ª. Em algumas situações, o indicador passa para a 4ª corda, o médio para a 3ª e o anular para a 2ª corda.

 

Confira variados tipos de dedilhados e outras grandes dicas neste vídeo da Artista Michael, Débora Ildêncio.

 

 

16 fev

A Michael lançou uma nova linha de Ukuleles, um instrumento de cordas originalmente do Havaí, que hoje é utilizado em diversos estilos musicais e em todas as partes do mundo. São modelos Soprano (MK21 ZB, ZBE e MH), Concert (MK23 MH e ZBE) e Tenor (MK27 ZB). Para comemorar estes lançamentos, nossa Artista Michael, Débora Ildêncio, fez um vídeo mostrando algumas das principais batidas utilizadas no Ukulele. Confira!

 

26 jan

reggaeton

 

O reggaeton é um estilo musical que tem origem na música latina e caribenha. Seu som é uma mistura do reggae em espanhol do Panamá, influenciado pelo hip hop, pela salsa e pela música eletrônica.

 

Neste vídeo, nossa Artista Michael, Débora Ildêncio, irá mostrar com o violão elétrico Michael Electra V919DTC SS como aplicar o ritmo de maneira correta. Ela mostra a importância de ficar atento no abafamento das cordas, tanto com a mão direita quanto com a mão esquerda! Confira!

 

22 dez

Olá, pessoal! Desejamos um Feliz Natal e um Ano Novo repleto de grandes realizações! Obrigado por falarem a língua da música com a Michael em mais ano! Felicidades e boas festas!

natal

15 dez

Olá, pessoal.

 

Na postagem de hoje, o guitarrista Bruno Leles, dá dicas básicas para aprender a improvisar usando a Escala Pentatônica. O músico virtuoso foi convidado pela Michael para fazer esta supervideoaula no centro de distribuição da marca! Confira!

 

24 nov

Adriano  - Live

Olá, pessoal. Nesta terça-feira(24/11), às 14h, Adriano Campagnani, Artista Michael, irá participar de uma live no Facebook da Michael para falar de contrabaixo na música mineira. Além de falar das influências, processos de criação, técnica e aplicação musical, o Artista irá tocar faixas do seu novo disco: Instrumental da Esquinas, que teve contribuição de grandes músicos como, André Campagnani, Claudio Faria,  Augusto Rennó, Amauri Angelo e Léo Pires, além dos magistrais Flavio Venturini, Lo Borges, Toninho Horta, Wilson Sideral e Serginho Carvalho. Não perca!

 

 

03 nov

Neste vídeo abaixo, Vitor Vieira, Artista Michael, mostra a maneira correta de realizar o baqueteamento na bateria. Ele passa exercícios básicos e dá dicas importantes para o baterista executar a técnica corretamente. Confira!

 

18 out

michael1
 

A Michael  participou em outubro da Expomusic 2017, maior feira de instrumentos musicais da América Latina!  A feira foi realizada entre os dias 04 e 08/10, no Anhembi, em São Paulo, espaço consagrado por realizar grandes shows nacionais e internacionais.

 

Para a marca foi uma grande oportunidade de realizar negócios, apresentar os lançamentos, rever os lojistas e estar em contato com os músicos.

 

A empresa preparou um stand bem bonito, com uma estrutura moderna, que valorizou bastante a interação. Os visitantes puderam ver de perto a versátil linha de instrumentos, que esteve toda setorizada, pronta para ser testada durante a feira.

 

Um dos destaques da marca foi o Palco Michael, local da apresentação dos Artistas. Os visitantes puderam assistir apresentações musicais variadas e ver de perto os instrumentos da marca em ação. Adriano Campagnani, Alex Curi, André Neiva, Cláudio Infante, Débora Ildêncio, Diego Sanches, Dino Rangel, Flávio Emanuel, Inácio Cavallieri, Luana Camarah, Luiz Cunha, Marcelo Costa, Kevin Emmanuel, Ricardo Cordeiro e Vitor Vieira mostraram grande desenvoltura e musicalidade, sendo bastante elogiados. Os estreantes do Palco Michael, Eros Biondini, Fabinho Gonçalves, Eugênio Lima, Wilson Lopes, Polly Angel e Tony Allysson também foram ovacionados!

 

Vale ressaltar também a réplica gigante de uma guitarra de metal, criada especialmente para o stand da Michael, que chamou a atenção do público! Feita pelo artista Rodrigo Gallo, o instrumento criado com materiais reciclados possuía 3 metros de altura e tinha quase 90kg.

 

 

michael2

25 ago

 

violãoharmonico

 

Hoje no Blog da Michael explicaremos a diferença entre harmônicos naturais e artificiais usando como parâmetro o  violão.  Para quem não conhece, os harmônicos são sons “escondidos” gerados por apoio leve nas cordas sobre os trastes.

 

O harmônico natural é o mais simples a ser executado. Ele consiste em tocar uma corda solta e logo depois encostar o dedo levemente em uma determinada corda próxima ao traste da guitarra, violão, entre outros instrumentos de corda. Para a tocabilidade correta, não faça pressão sobre o traste. Apenas encoste o dedo de leve e logo em seguida, retire. Faça os harmônicos nas cordas G, D e A, pois elas têm mais vibração

Você também pode excutá-los com facilidade na quinta casa e na sétima. Além dessas, pode fazê-lo na oitava acima da escala, na 17ª, 19ª e 24ª casas.

 

Alguns músicos, executam apenas com a mão direita, sem tocar a corda solta, porém, está técnica só é feita em determinadas casas.

 

Já o Harmônico artificial é feito com a corda presa, sendo executado apenas com a mão direita. Para aplicá-lo, coloque a ponta do indicador na altura do traste, e depois utilize qualquer um dos outros dedos da mão direita (polegar, médio, anular ou mindinho) para vibrar a corda. Pode ser feito com paleta também.

F.Gênia